Menu

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Photoshop e minha arte...

Sempre tive esse meu lado artístico, e com o Photoshop em minha mãos posso brincar o dia inteiro (Claro, se a Beatriz permitir) e ultimamente minha cabeça teve algumas inspirações para fazer algumas montagens com as fotos da Anna Beatriz. E quero compartilhá-las para vocês...




quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Penta, VIP e Rotavírus

Hoje a Anna Beatriz teve de tomar duas vacinas e uma aplicação de um remédio na boca. Foi de dar dóóó! Ela chorava tanto, que eu quase chorava também. Ela chegou a ficar roxinha... Mas tem que dar, né?! Se for pela saúde da minha princesa é mais do que necessário...
Há um calendário personalizado de vacinação do BabyCenter olhem lá http://brasil.babycenter.com/tools/immunization/


2 meses

Opção particular: DPaT + Hib + Pólio inativada ou / DPaT + Hib + Pólio inativada + Hepatite B / Rotavírus pentavalente / Pneumocócica conjugada 13-valente 


  • DTP + Hib + Hepatite B: Primeira dose. Contra difteria, tétano, coqueluche e infecções provocadas pela bactéria Haemophilus influenzae tipo b, além de hepatite B. É gratuita em postos de saúde. 
  • Modo de aplicação: Picada no músculo lateral da coxa (intramuscular). 
  • Pólio inativada (Salk ou VIP): Primeira dose. Previne a poliomielite, ou paralisia infantil. Na rede pública, é aplicada em vacina separada. Na particular, pode ser dada na mesma agulhada que a DPaT + Hib + Hepatite B, reduzindo uma picada. 
  • Modo de aplicação: Picada no músculo lateral da coxa. 
  • Rotavírus: Primeira dose. Evita infecções pelo rotavírus, que causa vômito e diarreia. A vacina monovalente é dada de graça nos postos de saúde. Na rede particular, também existe uma versão que protege contra mais tipos de vírus, mas o esquema completo será de três doses, em vez de duas. 
  • Modo de aplicação: gotinhas. 
  • Pneumocócica conjugada: Primeira dose. Evita alguns tipos de pneumonia e outras doenças causadas pela bactéria pneumococo. Passou a fazer parte do Programa Nacional de Imunizações em 2010, portanto é gratuita. A da rede pública é contra 10 tipos da bactéria. Na rede particular existe uma versão que evita 13 tipos de bactéria (13-valente). O pediatra pode preferir dar esta vacina aos 3, 5 e 7 meses. 
  • Modo de aplicação: picada no músculo lateral da coxa (intramuscular). 


  • Públicas: Pentavalente (DTP + Hib + Hepatite B) / Pólio inativada / Rotavírus oral / Pneumocócica conjugada 10-valente 

    segunda-feira, 24 de setembro de 2012

    2º mês

    Ontem, minha filhota completou seu segundo mês. Ela está a cada dia mais ativa, e durinha, firmando bem o pescocinho. E o seu sorriso me cativa a todo instante.... E enfim, ela está dormindo a noite toda (pelo menos por enquanto).
    Novas fotinhas...













    sábado, 15 de setembro de 2012

    Gripe...

    Estes últimos dias estão sendo muito complicados, pois minha filha começou de repente uma tosse seca em que muitas vezes acabava sufocando e chorava muito, isso tudo começou agora na quinta pela noite (13.09.2012), que colocou todos minha família em desespero, mas na mesma noite tudo se acalmou. Porém, depois notamos que a tosse não tinha passado, então resolvemos levá-la ao médico. Durante o atendimento ela estava até calminha, e a pediatra falou que aquilo era só uma gripe.
    Quando estávamos voltando ela teve uma crise, com o nariz entupido e não conseguia mamar, aplicamos o remédio que a médica passou, usamos aquele aspirador e demos um belo banho, foi aí que tudo melhorou depois de tanto aperreio. Então resolvi colocar um texto sobre isso...


    Gripe e resfriado: ô coisa chata!

    Essas infecções são transmitidas de pessoa para pessoa através das secreções respiratórias (tosse, coriza, espirros) ou pelas mãos das pessoas infectadas. A criança pode enfrentar de 6 a 8 infecções virais no ano, que atacam em geral nariz e garganta.Eternos problemas na vida principalmente das crianças, a gripe e o resfriado (forma mais leve) são doenças infecciosas causadas por diversos tipos de vírus que causam febre, dor de cabeça, nariz escorrendo, tosse e inflamação na garganta, entre outros sintomas.

    Já uma criança que freqüenta escolinha ou creche tem chance de 3 a 4 vezes maior de apanhar um resfriado, pois estão mais expostas a outras crianças que tenham infecções. Por isso, não é recomendado levar a criança doente para a escola.
    Mas por que os queridinhos da família são sempre os mais atingidos por esses inimigos minúsculos? É simples. O contágio é grande entre as crianças porque esta ainda não formou uma memória imunológica que é adquirida com as infecções. A criança fica gripada sempre que o corpo é invadido por um vírus novo, desconhecido, e assim seu organismo cria anticorpos.
    Cada vez que a criança entra em contato com o mesmo vírus, os sintomas tendem a ser mais leves ou inexistentes. Mas como existem muitos vírus, até que o organismo da criança crie uma defesa para todos, as gripes e resfriados serão freqüentes. O número diminui bastante a partir do terceiro ano.
    No frio, as infecções são mais comuns porque as crianças ficam mais juntinhas em ambientes fechados e não arejados, facilitando a transmissão do vírus.
    Uma dica para o combate da gripe ou resfriado é manter o seu filho bem hidratado, caprichando nos sucos ou até mesmo servindo água. O bebê que mama ao seio é mais resistente às infecções respiratórias e até os seis meses de idade não precisa tomar outros líquidos que não o leite materno.
    Outra orientação é fazer um maior número de refeições com quantidades pequenas, para evitar náuseas. Em caso de febre, procure colocar roupas leves para facilitar a troca de calor com o meio e colocar a criança no banho em água morna até que a temperatura ceda.
    Fique atenta - Os vírus da gripe e do resfriado diminuem a resistência da criança e facilitam a invasão de outros micróbios que podem causar amigdalite, otite, sinusite, rinite, bronquite ou pneumonia. Isso exige mais cuidados como tratamentos com antibióticos.
    Sempre é recomendável uma avaliação médica. Nunca ofereça medicamentos sem antes consultar o pediatra. Saiba que não há remédio que cure gripe e resfriados. Prevenir é a melhor solução.
    Evite levar o bebê ou a criança em lugares fechados e com aglomeração de pessoas. Procure também evitar o contato com pessoas que estejam resfriadas. Além disso, mantenha filtros de ar-condicionado limpos e o ambiente em que o bebê fica arejado. Essas medidas podem não ser 100% eficazes, mas certamente dificultará o contágio. O seu filho agradece!
    Bruno Rodrigues

    terça-feira, 11 de setembro de 2012

    Desenvolvimento...

    Surpreendo-me cada dia mais como a Anna Beatriz está se desenvolvendo, sinto ela mais pesada. E além de ela ser muito simpática ela é muito esperta também. Mas ai de mim se não fizer o que ela quer na hora que ela quer kkkkk Ela é um pouco nervosinha e quando se irrita ela me chuta, me bate kkkkkk
    E de vez em quando estou levando ela para passear um pouco, mas claro com todos os cuidados, pois ela é muito novinha. Este domingo (09.09.2012) eu a levei a casa da minha mãe, para nós matarmos um pouco a saudade. E aqui está algumas fotinhas...










    Brincos!

    Neste último sábado (08.09.2012) eu fui à farmácia furar a orelhinha da Anna Beatriz. Foi eu, minha mãe e a sobrinha do meu marido. Fazia tempo que eu queria furar, mas hoje em dia proibiram de realizar até a criança completar um mês e quinze dias de vida.
    Na hora dei ela para minha mãe e me afastei, pois não queria ver, mas mesmo assim assim quando furaram a primeira vez foi eu e ela chorando. Não gosto de vê-la assim, mas era necessário, pois também não teria gostado se minha mãe não tivesse colocado o meu brinco quando eu nasci. Contudo, o sofrimento continua o mesmo e hoje ela está bem. Minha preocupação era do brinco inflamar a orelhinha dela, mas graças a Deus até agora nada aconteceu, pois eles utilizam brincos de aço inox cirúrgico.
    Fiquem aí com a fotinha dela de brinquinho.

    terça-feira, 4 de setembro de 2012

    Os males da chupeta

    Desde sempre soube que a chupeta não traz nenhum outro benefício se não acalmar o bebê. E por isso não dei à minha filha mesmo com tantas pessoas me cobrando para dar. Mas enfim, a filha é minha e quero tudo de melhor para ela, inclusive uma vida mais saudável.
    E vou postar aqui um texto falando sobre isso do Guia do Bebê.


    Chega de chupeta!

    Qual mãe que não recorre a uma chupeta para o bebê parar de chorar? Nove entre dez, no mínimo. Mas saiba que o bebê não precisa de chupeta e que o seu uso pode trazer conseqüências sérias pelo resto da vida. Isso ninguém quer.
    O bebê tem uma necessidade de sugar que é satisfeita quando realiza a sucção do peito da mãe na amamentação. Quando o peito está muito cheio de leite, o bebê mama sem precisar fazer esforço, matando a fome, mas não a vontade de sugar. Se isso acontece, o bebê pode chorar e só se acalmar quando a mamãe oferece uma chupeta.
    Com a chupeta, o bebê satisfaz a sua necessidade de sucção, por isso se acalma, mas isso é prejudicial. Sabia? Fique tranqüila, pois existe outra forma de satisfazê-lo. Pois bem: quando a mamãe sentir sua mama cheia, o ideal é ordenhar, retirar um pouco de leite do peito para que o bebê tenha que sugar com mais esforço, matando assim a fome e a necessidade de sugar.
    Para bebês que não amamentam, existem alguns copos de bico com válvulas que, para a retirada do leite, necessitam do esforço do bebê. Não use mamadeiras, pois prejudicam o bebê da mesma forma que a chupeta.
    A mamãe tem que lembrar que a única maneira do bebê se comunicar é o choro. Ele vai chorar quando está sujo, com fome, com sede, com sono, quando quer carinho ou mesmo quando está feliz. O melhor é que a mamãe tenha paciência para descobrir o que seu bebê quer e não simplesmente oferecer uma chupeta que o deixará quieto por alguns instantes e não satisfará a sua necessidade de verdade.
    “O uso da chupeta pode acarretar o desmame precoce. O bebê pode deixar de sugar o peito por causa da chupeta. Isso acontece porque a posição da língua na amamentação é diferente da posição de quando se suga a chupeta. Como sugar a chupeta é mais fácil, na hora da amamentação o bebê colocará a língua na posição da sucção da chupeta e não conseguirá retirar o leite, chorando de fome e rejeitando o peito”, explica a fonoaudióloga Jamile Elias.
    Leite materno x chupeta - Nesse momento, as conseqüências já começam. O leite do peito é o melhor alimento para o seu bebê, contém todos os nutrientes necessários além de ser uma “vacina” (ajuda na formação do sistema de defesa do bebê). Se o bebê recusa o peito, sua defesa estará em baixa, acarretando em doenças respiratórias e alergênicas e o bebê poderá não receber todos os nutrientes que precisa para seu desenvolvimento e crescimento.
    A sucção da chupeta deixa os músculos das bochechas, lábios e língua flácidos, sem força. Isso trará prejuízos na mastigação e deglutição. A criança não conseguirá mastigar os alimentos mais consistentes, tendo que a mamãe amassar bem os alimentos ou bater tudo no liquidificador, e isso não é nada bom.
    O desenvolvimento da fala também será afetado já que a criança não terá força na musculatura para executar alguns sons. Um exemplo clássico é o personagem dos quadrinhos Cebolinha, que troca o “R” pelo “L”.
    Outra conseqüência que a chupeta traz é a alteração da arcada dentária como a mordida aberta e a mordida cruzada. A criança fica com os dentes tortos e com a face desarmônica, isto é, um lado do rosto diferente do outro, contribuindo ainda mais para a dificuldade de mastigar, deglutir e falar.
    Mais problemas – O simples uso da chupeta pode trazer outros malefícios à criança futuramente. A respiração é outra função que também se altera. O uso da chupeta faz com que a criança respire pela boca. A respiração oral ocasiona alteração de postura, sono agitado, com ronco, deixando a criança cansada, sem vontade de brincar, desatenta, contribuindo assim para dificuldades escolares.
    Antes de oferecer a chupeta, as mamães devem pensar nas conseqüências que isso trará para o seu pequeno. Será que seu filho irá gostar de ter os dentes tortos e precisar de aparelho dentário? Irá se sentir bem com os amiguinhos zombando dele por não saber falar direito e não conseguir brincar por causa da respiração oral? Ficará contente se ficar para recuperação e perder as férias? Claro que não. A pergunta que fica: depois de tudo isso, vale a pensa usar chupeta?
    Bruno Rodrigues
    Shiny Red Spinning Heart