Menu

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Relato de parto

Bem, depois de um bom tempo depois do parto, enfim tive tempo de escrever sobre meu parto.
Foi bem complicado acertar o parto com o meu ginecologista, pois meu plano não cobria meu parto, por causa da carência, então tive que fazer particular uma facada de 3150 reais, mas em compensação foi muito melhor pelo conforto.
Meu médico marcou para eu ser internada à meia-noite do dia 22 para o 23 e fazer minha cirurgia às 06:30, na segunda. Já no domingo foi só aquele nervosismo, organizando a malinha, terminando os retoques finais do quartinho da Anna Beatriz, enfim, todos os preparativos para a chegada dela, mas de todos o mais tenso era o Sidney que quando chegou a noite de domingo ele ligava de instante em instante perguntando como eu estava, se estava nervosa. Quando foi umas onze horas sai de casa e ao chegar no Hospital Cura D'Ars fui para um apartamento para "dormir" com minha mãe, mas não consegui, acho que pela ansiedade e o Sidney também não parava de ligar. Ele queria ver o parto, mas ele só podia entrar no hospital seis horas e quando foi quatro horas da manhã ele liga dizendo que já estava no hospital com a sobrinha dele.
Acho que só fui dormir mesmo lá pelas 5 horas da manhã e seis horas meu médico chega lá me chamando para começar a cirurgia. Me levaram para uma sala cheia de camas, onde tinha umas parteiras que me mandaram urinar umas cinco vezes com toda aquela delicadeza que toda parteira parece ter e depois de uns 10 minutos me chamaram para a sala da cirurgia. Foi aí que minha tensão começou...
Já na sala me colocaram na maca e meu maior pavor era a anestesia, não tenho problemas com agulhas, mas na coluna as coisas mudam de figura, os anestesistas disseram que não iria me dar a raqui, pois eu era muito nova e ela poderia me dar uma dor de cabeça muito forte, ai eles dera a peridural, três agulhadas terríveis na coluna, quando eles me deitaram começou a me dar tremedeira, e vi o Sidney entrando na sala, mas já não estava mais em mim, e acabei sentindo muita dor quando eles cortaram minha barriga, achava que não ia sentir nada, mas foi horrível. Quem me tranquilizou foi o anestesista que falava toda hora que estava perto de nascer, então escutei o chorinho que tanto esperava ouvir, eles colocaram ela do meu lado para eu ver, mas foi tão rápido e eu estava tão mal que só pude ver direito o narizinho dela, e quando estavam cortando o cordão o Sidney me chamou para vê-la, mas estava tudo muito embaçado, só conseguia escutar a voz dele, mas nem entendia o que ele dizia. Só sabia chorar. Depois me levaram na maca e fiquei em um corredor por uns 10 minutos, muito ansiosa para poder ver minha filha direito, mas eu nem sabia que ela estava nas minha pernas, só fui saber quando cheguei no meu quarto. Então a enfermeira já pediu para desligar o ar condicionado e disse que eu só poderia amamentar quando os tremores no meu corpo passasse, e durou mais ou menos uns vinte minutos, e enfim pude sentir minha filhinha perto de mim, pude amamentá-la, um momento mágico...
Shiny Red Spinning Heart