Menu

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Um pouco de mim!

Sempre mostro aqui o progresso da minha gravidez, mas até agora não tinha contado um pouco da minha história.
Bem, eu desde pequena adorei meus estudos, e comecei a namorar já bem nova, tinha apenas 12 anos, e agora já com quase 5 anos de namoro, e no fim do Ensino Médio, acabei descobrindo que estava grávida. Minha mãe sempre foi muito aberta comigo, me dá conselhos, conversa sobre tudo, e apesar de ela saber que eu já havia tido relações com meu namorado, toda vida me falava para eu me cuidar e não engravidar. Quando minha menstruação atrasou, quem notou foi ela, eu nem havia percebido, só depois de 2 meses que fui ver que realmente estava muito atrasada (demorou mais pq minha menstruação sempre foi desregular). Foi aí que fizemos o exame, e o meu mundo parecia desmoronar, vi minha vida enterrada a 7 metros do chão, vi o que estava construindo com meus estudos desabarem e serem destruídos, eu já tava praticamente entrando na faculdade e vi meu sonho ser deixado para trás. E mesmo fazendo o exame de sangue, ainda não havia caído a ficha, isso só foi acontecer mesmo na minha primeira ultrassonografia, fiquei muito tempo deprimida, meu namorado que ficou feliz, pois ele sempre quis um filho, mas mesmo assim ele me ajudou muito e entendeu minha dor. Mas a pior parte foi ver minha mãe se sentido traída por mim, sentindo-se culpada pelo que aconteceu comigo, quando na verdade o único erro foi o meu. Meu pai ficou bem tranquilo, que para mim foi um alívio, já bastava minha mãe, que sou tão apegada a ela, estar magoada comigo.
E não bastava isso, ainda tinha que enfrentar toda minha família, que sempre me viu de uma forma tão madura, e mesmo assim adoravam se meter na minha vida, imagina agora com tudo isso, eles ficaram julgando como se eu fosse a pior pessoa do mundo, pois fui a primeira a engravidar tão cedo, tenho apenas duas primas, de uma família bem grande, que têm filhos, mas elas já tiveram com bem mais de 20 anos, e por incrível que pareça, foram as que menos me julgaram.
Então com o tempo fui começando a me apaixonar com a ideia de ser mãe e minha mãe também começou a ficar feliz com a história também apesar das dificuldades. E pedi a minha mãe para ficar em casa pelo menos até a Anna Beatriz completar uns 2 meses e depois iria morar com meu namorado.  Porém não foi aí que meus problemas se acabaram. Depois de ter me mudado de onde eu morava, eu e meu namorado Sidney começamos a nos afastar, notava que ele estava um pouco distante de mim, e mesmo me sentindo mal com isso eu fingia que não ligava. E depois de alguns problemas, a mãe dele veio falar com minha várias coisas dele, que ele não ia assumir a filha, que ele não tinha responsabilidades, e quando minha mãe me falou vi que realmente ele parecia fugir de tudo isso, foi então que me senti iludida, pois a pessoa que estava comigo a cinco anos, que dizia que sonhava em ter um filho comigo, agora havia me deixado de lado no momento em que eu mais precisava. No mesmo dia liguei para ele e terminei tudo sem dar nenhuma explicação (isso pode ser meio horrível, terminar por telefone, mas parei de esperar para terminar pessoalmente desde o tempo em que ele viajou para Recife e quis terminar com ele, porém não ia esperar um mês para falar com ele, fingindo estar tudo bem por telefone), ele me ligou várias vezes e não atendi, mandava mensagens dizendo que eu não podia tirar a nossa filha dele, enfim, várias coisas. E no dia seguinte pela manhã, ele apareceu de surpresa na minha casa, perguntando o motivo de tudo isso, foi aí que falei tudo, e disse que não queria mais ficar com ele, que iria viver com meus pais, mas que não pretendia tirar nossa filha dele (não seria capaz disso, a não ser por um motivo extremo, claro!). Foi aí que ele me pediu de várias formas para ficar com ele, que me amava, que iria melhorar, e que a mãe dele falou tudo aquilo pq estava com raiva dele, mas ele ia sim assumir nossa filha. E depois de muito tempo conversarmos, resolvi dar uma chance a ele, contanto que ele conversasse com a minha mãe e explicasse tudo. Foi exatamente o que ele fez. Então ficamos numa boa novamente ele ficou mais presente na minha vida.
Contudo, quem está ou já esteve grávida, sabe que o humor ficou meio louco, uma hora está tudo numa boa e depois você vira uma mulher terrível, e por causa disso terminei com ele várias vezes depois disso (ele até hoje diz que sou bipolar), mas então hoje resolvi me controlar, pois sei que ele está aguentando muita coisa de mim, e se fosse outro já teria me deixado.
Enfim, hoje minha família me trata bem melhor, meus pais estão sendo os vovôs corujas, meu MARIDO também, já compramos tudo dela, e vou fazer o parto agora dia 23 de Julho, como já havia falado.
Então, compreendi que a minha gravidez pode até dificultar um pouco a realizações dos meus sonhos, mas isso só irá me abater, se eu deixar, eu irei lutar até o fim para criar a minha filha tão bem quanto meus pais criaram a mim e a meus irmão. E devo tudo isso a eles, e não vejo a hora de ver o rostinho da minha filhinha Anna Beatriz.
Pois mesmo sem a conhecer eu a amo demais, daria a minha vida por ela, e está incontrolável minha felicidade de saber que já estarei com ela em poucos dias, já estou com vontade de chorar. Mas enfim toda essa felicidade é por te amar de mais minha princesa e farei de tudo para te dar todo amor e carinho.

Sidney & Isabele

Shiny Red Spinning Heart